Pular para o conteúdo principal

SYNERGY 2016: Thomson Reuters reúne importantes líderes, reguladores e decisores para discutir as tendências e o papel da tecnologia na transformação do mercado fiscal, tributário e de comércio exterior

Thomson Reuters reúne importantes líderes, reguladores e decisores para discutir as tendências e o papel da tecnologia na transformação do mercado fiscal, tributário e de comércio exterior

Em sua quinta edição no Brasil, SYNERGY 2016 terá a participação do economista Ricardo Amorim, e de Jonathan Formiga, Auditor da Receita Federal
                                          
SPED, Malha Fiscal, Compliance & Governança Tributária e Competitividade no mercado Internacional com uso de Regimes Aduaneiros Especiais e FTAs são outros temas de destaque no evento

São Paulo, 10 de outubro de 2016 – A cidade de São Paulo, mais uma vez, é palco de um dos mais importantes eventos para discussão de temas dos segmentos econômico, fiscal, tributário e de gestão do comércio exterior no mundo. No dia 19 de outubro, especialistas de grande prestígio do mercado nacional e internacional estarão reunidos no WTC Events Center para participarem do SYNERGY 2016, evento multisetorial considerado referência mundial nessas temáticas. Esta é quinta vez que o evento é realizado no Brasil, e já se aproxima da décima edição no mundo, onde ocorre em países como Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, reforçando ainda mais sua tradição e relevância global.

Realizado pela Thomson Reuters, provedor líder mundial de soluções e informação inteligente para empresas e profissionais, o SYNERGY 2016 proporciona um ambiente colaborativo e esclarecedor onde é possível debater as melhores práticas de gestão fiscal, tributária e de comércio exterior aliadas à tecnologia, tendências dos mercados emergentes e o impacto no cenário econômico atual, como forma de apoiar a tomada de decisão em empresas, governos e profissionais.

Com olhos direcionados às questões relacionadas a impostos, tributação e seu impacto na dinâmica das corporações e da política econômica nacional, cerca de 350 líderes de opinião, tomadores de decisão, autoridades regionais e internacionais de regulação fiscal, consultores tributários e os mais experientes especialistas na área contábil e de gestão do comércio exterior vão debater sobre principais desafios do setor para os próximos cinco anos.

Logo após a cerimônia de abertura, que acontece às 9h30, o economista Ricardo Amorim falará sobre por que e como a economia deve melhorar e surpreender positivamente a partir de agora. Ainda na sessão plenária, Jonathan Formiga, Auditor Fiscal da Secretaria da Receita Federal, falará sobre o contexto do SPED para os anos de 2017 e 2018, abordando o correlacionamento entre a EFD-Contribuições, a EFD-Reinf e o eSocial.

Na sequência, Edgar Madruga, Professor e Auditor, Especialista em Empreendedorismo Tributário e Inovação Fiscal, falará sobre as novas malhas fiscais e como minimizar riscos e exposição fiscal. Para finalizar a sessão da manhã, será realizado um painel de debate sobre desafios de compliance & governança tributária e comércio exterior com especialistas de mercado.

A programação segue com sessões paralelas no período da tarde, quando serão tratados uma variedade de assuntos de grande relevância, por meio da apresentação de palestrantes renomados, mesa redonda com especialistas e apresentação de cases de sucesso com experiências práticas. Entre eles, estão:
·         SPED Bloco K e RECOF SPED: indo além de atender a obrigação legal e de garantir compliance.
·         Tendências Tributárias: Processo Fiscalizatório, SISCOSERV, Incentivos R&D e outras tendências.
·         Ressarcimento de Crédito ICMS
·         Compliance Fiscal: Tendências nacionais e influências internacionais
·         O SPED e a transformação fiscal digital empresarial
·         ECF e ECD: Novidades e Próximos Desafios
·         Bloco K: Pontos de Atenção e Impactos para as Empresas
·         ISS: Questões Polêmicas e Atuais Desafios
·         Inovação na gestão da Classificação Fiscal: a importância do controle automatizado para compliance e Case global: Automação dos processos tributários
·         Desafios do eSocial: Compartilhando melhores práticas e aprendizados
·         Case Sucesso: Melhores Práticas de Compliance e Gestão Tributária
·         Case de Sucesso: Como Será a Área Fiscal do Futuro
·         Painel de Debate: Competitividade no mercado Internacional com uso de Regimes Aduaneiros Especiais e FTAs
·         Painel de Debate: Compliance nas operações de Comércio exterior

Durante o evento, os participantes poderão conhecer em primeira mão os resultados da 2ª Pesquisa Global sobre Comércio Exterior realizada pela Thomson Reuters em parceria com a KPMG. O principal objetivo da pesquisa é obter uma fotografia atualizada sobre o que está acontecendo na indústria de comércio exterior a partir de um ponto de vista global. Para isso, foram consultados mais de 1700 profissionais em 30 países diferentes, a fim de compreender melhor o ambiente em que operam e os problemas com que se deparam. A pesquisa traz resultados surpreendentes sobre a aplicação da tecnologia para gestão das operações de comércio exterior, os desafios com compliance.
 “Na Thomson Reuters, temos a incrível oportunidade de estabelecer parcerias com empresas e profissionais de diferentes perfis, desde autônomos, pequenas e médias empresas a grandes corporações, tanto em mercados emergentes como em mercados maduros. Sabemos que, principalmente para as grandes corporações, o aumento das regulações transforma o panorama fiscal e gera maior complexidade para a gestão fiscal, tributária e de comércio exterior. Diante disso, os profissionais precisam se reinventar e enfrentar os desafios de uma forma completamente nova e, sem dúvida, os principais aliados desta transformação são a tecnologia e a informação" explica Santiago Ayerza, Managing Director da Thomson Reuters no Brasil. “Ao reunir a inteligência, a tecnologia e o conhecimento humano que essas empresas e profissionais precisam, podemos apoiar seus negócios de uma forma que ninguém mais pode. Participar do SYNERGY é uma oportunidade de conhecer esse potencial, as tendências que transformam o mercado fiscal, tributário e de comércio exterior e as principais soluções que estão mudando a indústria. Tudo isso em um ambiente ideal para networking e troca de experiências”, conclui o executivo.

Sobre o Synergy
O Synergy integra uma agenda positiva mundial de encontros e debates entre decisores e gestores de diferentes setores da iniciativa pública e privada que a Thomson Reuters realiza e apoia com regularidade, visando contribuir para criação de ambientes propícios a debates aprofundados sobre os desafios e oportunidades enfrentados nos diferentes países. Para a edição desse ano no Brasil, são esperados cerca de 300-350 líderes de opinião, tomadores de decisão, autoridades regionais e internacionais de regulação fiscal, bem como consultores tributários e os mais experientes especialistas na área contábil e de gestão do comércio exterior para discutir sobre principais desafios do setor para os próximos cinco anos – com olhos direcionados às questões relacionadas a impostos, tributação e seu impacto na dinâmica das corporações e da política econômica nacional. Para mais informações, visite https://tax.thomsonreuters.com/synergy/brazil/

SERVIÇO | SYNERGY 2016
Data:
19 de outubro, quarta-feira
Horário:
das 9h às 18h
Local:
WTC Events Center – Av. das Nações Unidas, 12.559 – São Paulo – SP
Inscrição:
Para cobertura de imprensa, por favor, solicite seu credenciamento com ewerton.silva@xcompr.com / glauber.canovas@xcompr.com


Thomson Reuters

Thomson Reuters é o provedor líder mundial de notícias e informação para mercados profissionais. Nossos clientes confiam em nós para ter acesso à inteligência, à tecnologia e à experiência que precisam para encontrar respostas confiáveis. A empresa opera em mais de 100 países há mais de 100 anos. As ações da Thomson Reuters estão listadas nas Bolsas de Valores de Toronto e de Nova York (símbolo: TRI). Para mais informações, visite www.thomsonreuters.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fisco notifica empresas do Simples para buscar quase R$ 1 bi em tributos atrasados

Serão cobradas omissões de 2014 e 2015
A Secretaria da Receita Federal informou que vai notificar nesta semana, por meio da página do Simples Nacional na internet, 2.189 empresas inscritas no programa para quitarem quase R$ 1 bilhão em tributos devidos. O alerta é fruto de uma ação integrada com fiscos estaduais e municipais.
Segundo o subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Iágaro Martins, as empresas serão notificadas quando elas entrarem no site do Simples Nacional para gerar a guia de recolhimento do imposto devido, procedimento que elas têm de fazer todos os meses. Antes de conseguirem gerar a guia, serão informadas pelo órgão sobre as divergências.
As empresas do Simples notificadas terão até o fim de setembro para regularizarem sua situação. Se não o fizerem até lá, os fiscos federal, estaduais e municipais envolvidos na operação avaliarão o resultado do projeto e identificarão os casos indicados para "abertura de procedimentos fiscais" - nos quais são cobra…

Contabilidade Digital

Iniciamos 2017 com algumas mudanças no Lucro Real como a obrigatoriedade de apresentação de assinatura de 02 contadores na retificação (correção) de registros contábeis de anos anteriores já enviados á Receita Federal pela ECD – Escrituração contábil Digital, que nada mais é que a própria contabilidade digital (Balanço, DRE, Balancete). E ainda caso a contabilidade seja considerada imprestável pelo Fisco será tributada pelo Lucro Arbitrado onerando um adicional de 20% no cálculo do IRPJ, sendo contabilidade imprestável aquela cujos registros contábeis não retratam a realidade financeira e patrimonial da empresa.
Diante deste cenário, vimos orientá-los de obrigações legais que as empresas devem estar atentas de forma a diminuir o risco tributário e não sofrer com penalidades do Fisco. Estamos numa era digital, onde o Fisco investe em tecnologia da informação ao seu favor para aumentar a arrecadação, fiscalização e combate a sonegação, bem como falhas dos contribuintes nos controles da…

Tese de que contador não se beneficia com sonegação faz empresária ser condenada

Em casos de sonegação fiscal, quem se beneficia é o empresário, e não o contador que supostamente teria cometido um ato ilegal. Foi essa a linha seguida pelo Ministério Público em um caso que acabou com a condenação, determinada pela 25ª Vara Criminal de São Paulo, de uma sócia de distribuidora de cosméticos por sonegação de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
Segundo a denúncia, entre os meses de março e dezembro de 2003 a acusada inseriu números inexatos em documentos exigidos pela lei fiscal, causando um prejuízo ao fisco de aproximadamente R$ 1 milhão.
O juiz Carlos Alberto Corrêa de Almeida Oliveira afirmou que caberia à empresária manter em ordem livros fiscais e demais documentos que demonstrem a lisura das informações prestadas à autoridade fiscal e, diante disso, condenou-a à pena de três anos de reclusão – com início no regime aberto – e pagamento de 15 dias-multa, no valor mínimo unitário legal, substituindo a pena privativa de liberdade por duas r…