Pular para o conteúdo principal

Belo Horizonte sedia “2º Fórum SPED BlueTax Minas” com renomados especialistas brasileiros

O objetivo do evento, programado para 14 de maio, é debater o impacto do Sistema Público de Escrituração Digital nas relações cotidianas entre as empresas e as autoridades tributárias, a fim de gerir o risco fiscal
Tema central de constantes dúvidas para os empresários e considerado um grande desafio para as próprias autoridades tributárias – de quem emanam tamanhas transformações nas relações entre os contribuintes e o fisco – o Sistema Público de Escrituração Digital será o foco do “2º FÓRUM SPED BLUETAX MINAS”, evento que a BlueTax Treinamento promoverá no dia 14 de maio, das 8 às 18 horas, no Museu Inimá de Paula, em Belo Horizonte (MG).
O objetivo é apresentar o estágio atual e as novidades dos projetos mais recentes, como o eSocial – cuja data de envio do cadastramento inicial foi recentemente prorrogada para 31 de outubro de 2014; a Escrituração Contábil Fiscal – ECF (antiga EFD-IRPJ e e-Lalur) – vigente desde 1º de janeiro deste ano; e o Bloco K da EFD-ICMS/IPI (antigo SPED mineiro), que entra em vigor a partir de 1º de janeiro de 2015, entre outros aspectos relacionados aos arquivos digitais.
O 2º Fórum também levará os participantes a refletir sobre outros assuntos do cotidiano das empresas, como os atuais impactos da Nota Fiscal eletrônica (NF-e), a visão da atuação do fisco; a busca por melhorias de controles e processos e da qualidade da informação, além da redução de riscos e da oportunidade de analisar os desafios que estão sendo ou serão vivenciados pelas empresas em 2014 e 2015.
“O eSocial, assim como o SPED, está proporcionando uma forte mudança não apenas nos modelos tecnológicos e burocráticos das empresas e dos entes do poder público, mas impondo também uma profunda transformação cultural na gestão corporativa”, explica o contador José Adriano Pinto, coordenador científico da BlueTax Treinamento, sócio-diretor da GSW Minas Nordeste e idealizador de três Fóruns SPED BlueTax. O 1º deles foi realizado em Minas Gerais, em 2012, e o 3º será promovido em Maceió (AL), em 21 de maio de 2014.
Dividido em seis palestras e quatro mesas debatedoras, o 2º Fórum reunirá uma gama de especialistas nos temas relativos ao SPED, como o professor Roberto Dias Duarte, um dos profissionais mais requisitados para eventos e palestras no Brasil sobre este tema.
“Nosso desejo é conscientizar as empresas das possibilidades de cruzamentos e auditorias por parte dos fiscos, bem como da possibilidade de gestão preventiva do risco, promovendo, acima de tudo, o debate entre as maiores referências em SPED do Brasil com profissionais das áreas afins, possibilitando a troca de experiências e absorção das melhores práticas”, argumenta o coordenador do evento, José Adriano.

PROGRAMAÇÃO
08:00 – Credenciamento
08:30 – Abertura
08:45 PALESTRA I: “BLOCO K”, com Emanuel da Silva Franco Jr., contador especializado em gestão de sistemas e coordenador dos projetos SPED na Usiminas
09:25DEBATE “BLOCO K”: Emanuel da Silva Franco Jr. e Lucas Vieira Alves e Lucas Vieira Alves (administrador e contador, analista fiscal da CBMM e um dos responsáveis pela integração entre SAP e Mastersaf)
09:45PALESTRA II: “ECF (EFD-IRPJ)”, com Márcio Tonelli, contador, administrador de empresas, consultor e ex-auditor da Receita Federal (1981-2010), onde supervisionou o SPED Contábil e o FCont
10:25DEBATE II: Márcio Tonelli e Edson Lima (contador especializado em tecnologia e gerenciamento de projetos)
10:45 – Coffee break
11:15PALESTRA III: “GESTÃO DO RISCO E QUALIDADE DOS ARQUIVOS”, com Edgar Madruga, administrador de empresas, auditor da SEFAZ-GO e coordenador do MBA em Contabilidade e Direito Tributário do IPOG
11:55DEBATE III – “GESTÃO DO RISCO”, com Edgar Madruga e José Adriano (contador com MBA em TI, professor da PUC Minas e do IPOG, coordenador científico da BlueTax Treinamento e sócio-diretor da GSW Minas Nordeste)
12:15 – Sorteios e Intervalo para o almoço
14:00PALESTRA IV: “eSocial”, com Fernando Sampaio, professor, especialista em gestão, contabilidade e controladoria 
14:50 PALESTRA V: “eSocial”, com Filemon Oliveira, contador, professor da PUC Minas e do IPOG e membro do Grupo de Estudos Tributários do CRC-MG.
15:40 – Coffee Break
16:10PALESTRA VI: “eSocial”, com Roberto Dias Duarte, Palestrante, Articulista, Escritor, Blogueiro, Consultor, Professor e Empreendedor.
17:00DEBATE eSocial: Fernando Sampaio, Filemon Oliveira e Roberto Dias Duarte
17:50 – Sorteios
18:00 – Encerramento

SERVIÇO
Evento: 2º FÓRUM SPED BLUETAX MINAS
Data e horário: 14 de maio, das 8 às 18 horas.
Local: Museu Inimá de Paula, Rua da Bahia, 1.201, Centro, Belo Horizonte (MG)
Patrocinadores: GSW Soluções Integradas, Masterlight, Mastermaq Softwares, Mendes Brasil Consultoria e Thomson Reuters Mastersaf.
Apoiadores: CRC-MG, FECON-MG, FIEMG, SESCON-RJ e SINESCONTÁBIL-MG 
Investimento: R$ 560,00 (vagas limitadas)
Informações: No hotsite:  www.forumsped.com.br, no telefone 0800 030 1112, ou via e-mail:  contato@forumsped.com.br.


Fonte: José Adriano

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fisco notifica empresas do Simples para buscar quase R$ 1 bi em tributos atrasados

Serão cobradas omissões de 2014 e 2015
A Secretaria da Receita Federal informou que vai notificar nesta semana, por meio da página do Simples Nacional na internet, 2.189 empresas inscritas no programa para quitarem quase R$ 1 bilhão em tributos devidos. O alerta é fruto de uma ação integrada com fiscos estaduais e municipais.
Segundo o subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Iágaro Martins, as empresas serão notificadas quando elas entrarem no site do Simples Nacional para gerar a guia de recolhimento do imposto devido, procedimento que elas têm de fazer todos os meses. Antes de conseguirem gerar a guia, serão informadas pelo órgão sobre as divergências.
As empresas do Simples notificadas terão até o fim de setembro para regularizarem sua situação. Se não o fizerem até lá, os fiscos federal, estaduais e municipais envolvidos na operação avaliarão o resultado do projeto e identificarão os casos indicados para "abertura de procedimentos fiscais" - nos quais são cobra…

Contabilidade Digital

Iniciamos 2017 com algumas mudanças no Lucro Real como a obrigatoriedade de apresentação de assinatura de 02 contadores na retificação (correção) de registros contábeis de anos anteriores já enviados á Receita Federal pela ECD – Escrituração contábil Digital, que nada mais é que a própria contabilidade digital (Balanço, DRE, Balancete). E ainda caso a contabilidade seja considerada imprestável pelo Fisco será tributada pelo Lucro Arbitrado onerando um adicional de 20% no cálculo do IRPJ, sendo contabilidade imprestável aquela cujos registros contábeis não retratam a realidade financeira e patrimonial da empresa.
Diante deste cenário, vimos orientá-los de obrigações legais que as empresas devem estar atentas de forma a diminuir o risco tributário e não sofrer com penalidades do Fisco. Estamos numa era digital, onde o Fisco investe em tecnologia da informação ao seu favor para aumentar a arrecadação, fiscalização e combate a sonegação, bem como falhas dos contribuintes nos controles da…

Tese de que contador não se beneficia com sonegação faz empresária ser condenada

Em casos de sonegação fiscal, quem se beneficia é o empresário, e não o contador que supostamente teria cometido um ato ilegal. Foi essa a linha seguida pelo Ministério Público em um caso que acabou com a condenação, determinada pela 25ª Vara Criminal de São Paulo, de uma sócia de distribuidora de cosméticos por sonegação de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
Segundo a denúncia, entre os meses de março e dezembro de 2003 a acusada inseriu números inexatos em documentos exigidos pela lei fiscal, causando um prejuízo ao fisco de aproximadamente R$ 1 milhão.
O juiz Carlos Alberto Corrêa de Almeida Oliveira afirmou que caberia à empresária manter em ordem livros fiscais e demais documentos que demonstrem a lisura das informações prestadas à autoridade fiscal e, diante disso, condenou-a à pena de três anos de reclusão – com início no regime aberto – e pagamento de 15 dias-multa, no valor mínimo unitário legal, substituindo a pena privativa de liberdade por duas r…